segunda-feira, 26 de outubro de 2015

A vida de au pair.

**Esse post foi originalmente feito no blog "Help Au Pair", como decidi inutiliza-lo, trouxe varias postagens para cá!**


Logo apos eu decidir ser au pair e ficar encucada em fazer um site com varios assuntos ligados ao tema au pair, procurei varias meninas que estivessem interessadas em dividir a vida "auperiana" com outras meninas que como eu, gostariam de saber o que acontecia nesse dia-a-dia.

Nao encontrei muitas interessadas, e hoje estou aqui a quase um ano (9 meses amanha) e acho que posso falar um pouco dessa caminhada. Tambem pedi a algumas amigas que fizessem o mesmo, assim voces podem saber de historias que deram certo e de historias que nao foram tao felizes.

Irei colocar uma historia por post.


Nome: Viviane.
Idade: 22 anos.
Cidade: New York.
Agencia:Cultural Care.
Chegada: Outubro 2007..
Quantidade e Idade das Kids: Emma (2 anos e 11 meses) e Jonah (1 ano e 3 meses).
Extendeu o programa: Sim.

Cheguei no treinamento super feliz como a maioria das meninas. Vim com uma turminha de brasileiras show de bola. Tentamos manter contato mesmo que por telefone, algumas viajaram juntas nas ferias, falo com outras algumas vezes, mas tento sempre deixar um recadinho no orkut.

O meu primeiro contato com a familia? Eu descreveria como meio bizarro. Sabe quando voce entra naquele estado de choque e se pergunta "Raios, o que to fazendo aqui?" ?
Essa foi a minha reacao. Meu Host father foi me buscar com o bebezinho em uma cidade vizinha, vinhemos conversando, ate ai tudo bem, cheguei em casa e a minha menina na porta, envergonhada, minha host so me observando, ja fiquei meio assustada pq ja tinha medo dela (host) antes mesmo de vir. Falei oi, ela retribuiu. Conheci a casa, meu quarto.

Saimos para comer fora, foram gentis comigo. Mas eu ja louca de vontade de chorar e ligar para a minha casa. Quando voltamos pra casa, fui desfazer minhas malas, e quando olhei em cima da minha penteadeira, havia um livrinho.
Na primeira folha estava escrito "Bem vinda Viviane". Na segunda "intrucoes, direcoes e regras".
Nossa, isso aumentou minha vontade de desaparecer.
No dia seguinte (sabado) liguei para a Mari, uma amiga lindissa da qual sou grata por tudo, ela me levou pra NYC, pra ajudar nessa homesick doida. Me mostrou todos os lugares famosos de la. Nesse dia conheci a Ju e a Fabi, dois doces de pessoa.

A primeira semana foi tenebrosa! Nao pela familia, mas pela minha menina que na epoca tinha 2 anos e 2 meses. A avo das kids veio me ajudar na primeira semana, a me mostrar tudo, mas eu nao concordava com as atitudes dela (mas quem sou eu pra meter o bocao na minha primeira semana?), a menina gritava com ela ,perdiamos + de 20 minutos apenas para coloca-la no carro
o.o

Ligava pra casa chorando, e me sentia mal por isso. Minha mae boatava banca de durona e me dizia: "Tenta filha, tah achando que dinheiro cai do ceu? Tu quis ir, agora ao menos tenta, da um tempo, se tu nao gostar troca ed familia, mas tenta!", quando queria mesmo dizer "pega o aviao e volta sua tonta!".



Eu tentei e sabe o que aconteceu?
Estou tendo um ano maravilhoso. Tenho a host family "perfeita".

Amo minhas kids de paixao apaixonada!! Minha host que antes me botava medo, virou uma das minhas melhores amigas aqui! Amiga pra tudo, conversamos sobre tudo nesse mundo, das kids, de namoros, de sonhos, de vida, de tudo. Meu host eh doido, gente boa pra caramba.

Minha menina nao mudou muito, mas eu levo ela do jeito que posso, a bicha eh danada, eh esperta, eh linda, me ama e eu amo ela! Amo quando ela usa meus sapatos, e pede pra usar o meu sutia, usa minha maquiagem ou diz que me ama.

Amo meu menino quando acorda sorrindo e me abraca, quando ele tenta falar meu nome, quando ele faz gestos (ele nao fala muito ainda, mas faz gestos), quando fazemos coisas bobas e rimos, quando ele pede pra eu ler um livrinho pra ele.

Tem dias que eu penso "o que eu to fazendo aqui?", pq crianca nao eh facil em nenhum lugar do mundo. Mas eu me acalmo e penso em tudo de bom que ja me aconteceu aqui. As risadas, a boa familia que eu tenho, os amigos que fiz, a independencia que estou criando, a pessoa que estou modificicando, tudo.Tem dias que eu so penso em ir pra casa, curtir a vida que eu tinha perto dos meus pais e amigos, em outros vejo a oportunidade maravilhosa que estou tendo aqui.
Muitas vezes me sinto mal, pq vejo o quanto meus pais sofrem por eu estar longe, eh dificil mesmo.

Lembra daquele livrinho que havia no meu quarto? como meu ingles nao era dos melhores, eles resolveram imprimir coisas que gostariam que eu soubesse, assim se eu nao entendesse algo poderia olhar, ou se me sentisse perdida, teria as direcoes do que fazer.

Nao ganhei presentes, mas o melhor presente de todos eu tenho: uma familia maravilhosa.
Todos tem problemas, eles fazem parte da vida, do aprendizado, mas eu sei que tenho os meus defeitos, como eles tem os deles e nao me prendo a isso.

Conversamos sempre. A homesick bateu aqui e bateu forte, mas eles me ajudaram.

Fui ao Brasil em maio ver meus pais e amigos e nao ha sensacao melhor no mundo. Comemorei o aniversario do meu pai, fiz homenagem pra minha mae no dia das maes, vendi o meu laptop e dei o dinheiro pra minha mae comprar o presente que desse na telha. O presente de aniversario do meu pai foi eu ir la! rs
Eu me senti bem sabe, eu paguei tudooo! Passagem, presentes, taxi, tudo!
Me senti dona do meu nariz, da minha vida, dona da minha liberdade.

Um mes depois fui para a Carolina do Sul. Me divertir, amei.

Hoje ja tenho extendido meu ano com a mesma host family.

Coisas ruins ja aconteceram, uma das que lembro foi ter batido a lateral do carro enquanto dava re. Meu host ficou desapontado, mas como estava trabalhando nao tive que pagar nada.



Enfim, esse eh um resumo desses 9 meses.
Dias felizes, dias tristes.

11 comentários:

  1. Olá!
    Nossa, adorei ler seu post...
    Pretendo ser au pair a partir de outubro do ano que vem e já estou me infomando de tudo quanto for possível. Ler depoimentos como o seu só me encoraja mais.
    Boa sorte aí menina até o final da sua jornada!
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. olá viviane meu nome é gabriela e desejo futuramente me tornar uma au pair sei que não sera facil como você disse fora as saudades tem tambem a preucupação se vai se adaptar mais sei que estou preparada de certa forma hua.Quero te dizer muito obrigada por mostrar um pouco de como foi sua vida nos USA, pois acho que isso serve para nos mostrar como será se um dia eu como tantas outras conseguirem se tormar au pair . atenciosamente : gabriela

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bemm
    Me emocionei ao ler seu blog, me encantei... meu sonho é ser uma au pair, criar minha própria identidade como vc mencionou... me identifiquei mto com sua história! Parabéns pela conquista! Toda sorte do mundo pra vc!
    Beijoss
    Luana Mollinar

    ResponderExcluir
  4. OIee!!!!
    esse é o MELHOR blog com dicas, ajudas e tudo mias sobre au pair! Parabéns e nao pare de postar!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  5. ah, amei a sua descrição do que é ser au pair! estou no início do processo, aguardando meu aceite, e fico imaginando um dia fazendo essas coisas como vocês.
    se aventurando mesmo
    parabéns por suas experiências
    abraçooo

    ResponderExcluir
  6. OIEEE!!
    Vou fazer Au Pair tbm!!
    amei seu blog e o acompanharei!

    tudo de bom!
    um beijo
    Karine

    ResponderExcluir
  7. Nossa q legal o seu post falando da sua experiencia...Eu tbm acabei de renovar, infelizmente minha experiencia com familia nao foi tao boa qto a sua, mas a valendo de qlqr forma a experiencia de estar amadurecendo aqui...
    Estou no meu segundo ano com nova familia, q por via nao deu certo tbm...Mas pelo menos foi um acordo legal entre ambos..Boa sorte e continue postando!

    ResponderExcluir
  8. Olá Vivi! Td bem? Espero que sim!! Passando pra dizer que acompanho e adoro seu blog!! Parabéns! Beijos e que Deus te abençoe!! Ah, te linkei no meu blog, espero que não tenha problemas... qualquer coisa me avise.. bjokaa!

    ResponderExcluir
  9. E essa vida é cheia de altos e baixos né? Não seria no ano de Au Pair que seria diferente. Coisas boas e coisas ruins acontecendo. O importante é viver da melhor maneira possível essa experiência. Aproveitar cada segundo e enxergar as coisas boas pra tentar esquecer as ruins.

    Adorei sua história. E me prova mais uma vez que a gente deve persistir e lutar pra conseguir o que quer.

    Soooorte!

    Beeeijos.

    ResponderExcluir
  10. Ola !!!

    To perdida coléga ... Rs

    Bom sou quase Au Pair.

    Estou indo pela experimento, agora estou esperando o contato com as familias... É ai que esta o problema, meu inglês é bem ruim.

    A tempos atraz minha prima viajou e acompanhei ela na agencia, foi quando eu solbe que após 1 ano de curso de ingles (nivel intermediario) eu poderia participar, foi o que fiz.

    E agora to aqui sem saber o que fazer me ralando no curso e no tradutou do google .. Rs

    Vc acha que eu realmente estou perdida ???

    Meu email
    Karen.lika@hotmail.com
    Karenlikinha@yahoo.com.br

    Bjooooooos

    ResponderExcluir
  11. Ola !!!

    To perdida coléga ... Rs

    Bom sou quase Au Pair.

    Estou indo pela experimento, agora estou esperando o contato com as familias... É ai que esta o problema, meu inglês é bem ruim.

    A tempos atraz minha prima viajou e acompanhei ela na agencia, foi quando eu solbe que após 1 ano de curso de ingles (nivel intermediario) eu poderia participar, foi o que fiz.

    E agora to aqui sem saber o que fazer me ralando no curso e no tradutou do google .. Rs

    Vc acha que eu realmente estou perdida ???

    ResponderExcluir

Deixe sua mensagem após o sinal... PIIIIIIIIIIIII

¯`» Aonde voce esta? 2009 «´¯